Soluções Ambientalmente Sustentáveis São Levadas Cada vez mais Em Conta Pelos Brasileiros

20 May 2018 19:05
Tags

Back to list of posts

Vi que caía muita água. Como queria fazer um jardim, decidi utilizar essa água para irrigação', mostrou Vanda Maria Ramos. P2250112-vi.jpg Segundo ela, a obra foi muita rápida e claro. O retorno desses investimentos, como o aproveitamento de água, energia solar e outras medidas ambientalmente sustentáveis, é levado cada vez mais em conta pelos brasileiros. Especialistas ambientais e da construção civil acreditam que os gastos na obra se pagam entre seis meses e um ano com a economia que é feita, a título de exemplo, na conta de água ou energia elétrica.As placas de aquecimento solar (fotovoltáicas) têm sido cada vez mais usadas no estado, principalmente para o aquecimento da água de chuveiro. Marcos Casado, diretor técnico e educacional do Green Building Council no Brasil, organização internacional de estímulo às construções verdes que emite certificações de construções sustentáveis em várias partes do universo, acompanha o mercado há quase 7 anos. Segundo ele, os custos com esse tipo de construção prontamente chegaram a ser trinta por cento de maior valor do com obras tradicionais.Pinturas artesanais dão existência nova a vasos de barroCesta Premium de Frutas Tropicaisdois - Decoração Barata com Reciclagem: Use instrumentos que agora retém e seja criativoCozinha pequenaConforto é peça-chaveNão interromperem os espaços de circulação das pessoasCasado reforçou que hoje gasta-se, em média, cinco por cento a mais do que em um empreendimento comum e esse custo inicial se viabiliza pela corte de custo operacional nas edificações. A superior oferta de produtos e tecnologias oferecidas pelo mercado resultou no barateamento dos custos durante os anos. Marcos Casado argumentou que a redução no preço conclusão do empreendimento é reflexo, assim como, do superior número de unidades produzidas.O Ministério do Meio ambiente disponibilizou uma cartilha na sua página na web, com informações de medidas que conseguem ser adotadas por cada cidadão. Entre estas dicas estão, como por exemplo, o posicionamento solar, a manutenção de vegetação nativa para o equilíbrio térmico e os sistemas de reaproveitamento de água da chuva. O Rio de Janeiro é o segundo estado com o superior número de certificações em andamento no povo - são 134 projetos em andamento e doze empreendimentos certificados. São Paulo está em primeiro território, com 419 projetos que aguardam a certificação e outros setenta e cinco empreendimentos certificados. Segundo o GBC Brasil, os estados que mais investem em empreendimentos sustentáveis são os que têm maior participação de profissionais em cursos de especialização nesse tipo de obra. A organização capacita incalculáveis especialistas do setor a partir de um programa que agora formou mais de quarenta e cinco 1000 profissionais em cursos realizados em vinte cidades do país. Você podes almejar ver qualquer coisa mais completo relacionado a isso, se for do seu interesse recomendo navegador no web site que originou minha post e compartilhamento destas informações, veja locação plataforma elevatória e leia mais sobre isto. A suporte em caixas coopera a mobilidade: caso o morador necessite se modificar, é só conduzir a residência perto. O conteiner serve para quem tem vida prática. São pessoas que podem variar de cidade, alugar terrenos e até acoplar muitos conteiners”, planeja Lair. Nos revestimentos, o projeto pretende acompanhar a linha sustentável e conta com madeira de reflorestamento, rodapés 95% reciclados de poliestireno, piso de pvc com apoio de borracha (pneu reciclado) e pintura térmica à apoio d água. A iluminação externa é feita com leds e painéis fotovoltáicos são responsáveis por cinquenta por cento da formação de energia. Entre as soluções para usufruir os espaços, a lavanderia fica embutida nas portas originais do Container e tem acesso por fora.Por uma abertura no banheiro, o morador joga a roupa suja diretamente no cesto pela lavanderia. Nela, poderá-se secar as roupas à sombra (com um varal pela parede) ou ao sol, com um varal na porta. Ao longo da noite, com as portas fechadas, duas janelas asseguram a ventilação nesse lugar. Com a área total de quarenta e cinco m², o projeto é composto por 2 pavimentos.No térreo, o acesso pelo deck de madeira leva à entrada pra sala de estar. No piso superior, o dormitório tem saída pro terraço, com área de vinte m². Pela busca de uma casa próxima ao serviço, a arquiteta Larissa Lieders deparou-se com esta moradia de vila, em São Paulo. Antes da transformação, com marido e filha, a arquiteta reformou o sobrado, de 90 m².Quisemos uma casa compacta visto que trabalhamos o dia inteiro fora, dessa forma deve ser um ambiente fácil de manter”, conta. No interior, a arquiteta pensou em um projeto com ambientes versáteis. A sala de jantar podes abrigar bem como o home office, por exemplo. O lavabo com duas portas serve tal pra receber as visitas quanto pra empregada. No quintal, o varal é retrátil e,no momento em que guardado, permite ganhar os amigos numa área descoberta. Planta baixa da casa antes da reforma. Planta baixa depois da reforma. As mudanças foram poucas, uma vez que a residência neste instante era bem distribuída”, conta a arquiteta.Uma das principais alterações foi no pavimento superior, em que o banheiro foi dividido e incorporado ao quarto do casal, formando uma suíte. A moradia em Santo Antônio do Pinhal foi pensada inicialmente para uma família paulistana com um filho, com planos de modificar-se para o município. O projeto das arquitetas Raquel Gaiolla e Renata Ferrão, de 133m², teve de ser alterado com a chegada do segundo filho do casal e abriu espaço para o terceiro quarto.Os revestimentos escolhidos são claro, com destaque para a praticidade da manutenção. Os moradores queriam uma casa bem rústica. Assim sendo, foi usado tijolo estrutural da própria localidade e pisos em cimento queimado”, conta Raquel. P2250124-vi.jpg A vista foi privilegiada com muitas aberturas envidraçadas, que permitem a entrada da iluminação natural. A planta baixa da residência evidencia a integração dos espaços pela área social: a cozinha abre-se para a sala de jantar, integrada com o estar.A integração dos ambientes colabora a sensação de amplitude do espaço”, sinaliza a profissional. O projeto de 97m² em Garopaba – SC é da arquiteta Rosane Nolasco Leitzke – ela mora na moradia com o marido. Os ambientes sociais estão voltados para a frente do terreno com entrada principal na varanda. Projetada como um loft, a moradia tem os ambientes sociais integrados: cozinha, sala de jantar, estar e home office dividem a mesma área. Como não temos filhos, quisemos uma casa prática e pequena, que não deste muito trabalho”, conta Rosane. O pé correto grande com um grande rasgo de vidro garante a iluminação natural e a ventilação dos espaços.

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License